POLÔNIA

VARSOVIA & CRACOVIA

26 de julho à 01 de julho de 2021

Pequenos Grupos

1º dia – 26 junho – sábado – Kiev/Varsóvia

Traslado ao Aeroporto Borysbil e embarque às 8h40min no voo 750 da POLISH AIRLINES para Varsóvia. Chegada às 09h10min no Aeroporto Chopin e traslado ao elegante HOTEL BRISTOL.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

WITAMY W POLSCE!

A POLONIA foi um dos países mais cosmopolitas da Europa, suas fronteiras em movimento abrigaram alemães, lituanos, ucranianos e inúmeras outras nacionalidades. Durante séculos o país serviu de refúgio para minorias perseguidas de outros países europeus. Cinquenta anos pode parecer um período curto na história de um estado, ou de uma nação, mas, por outro lado, pode ser um período em que tudo, incluindo o sistema político, o território e o ritmo de desenvolvimento de um estado, muda. A Polônia foi o primeiro país a se opor aos planos de invasão de Hitler e Stalin. O país havia sido dividido entre os invasores, e a população civil polonesa ficou sujeita a repressões brutais tanto pelos nazistas quanto pelos soviéticos. Já em 1939, as primeiras execuções em massa ocorreram no território ocupado alemão. As repressões de Hitler foram dirigidas especialmente contra as elites políticas, culturais, religiosas, sociais e intelectuais. Da mesma forma, centenas de milhares de cidadãos poloneses que vivem nos territórios ocupados pela União Soviética, foram deportados para a Sibéria e para o Cazaquistão para viver em condições desumanas. Muitas dessas pessoas nunca voltaram para sua terra natal. O destino da população judaica, que vivia nos territórios poloneses ocupados pelos alemães, foi especialmente trágico. Antes do início da Segunda Guerra Mundial, cerca de 3 milhões de judeus viviam no território do estado polonês, representando cerca de 10% da população da Polônia na época. Desse número, menos de 300 mil judeus sobreviveram. Os maiores campos de concentração da Europa ocupada foram organizados pelos nazistas nos territórios poloneses (Auschwitz-Birkenau, Treblinka, Sobibor). Além disso, a Polônia era o local onde os nazistas criaram os campos de extermínio, as verdadeiras fábricas da morte, onde a solução final de Hitler seria executada. Apesar de ser um dos vencedores da Segunda Guerra Mundial, a Polônia estava fisicamente devastada. Como resultado da decisão das Três Grandes, metade do território pré-guerra da Polônia foi entregue à União Soviética, e a Polônia, por sua vez, ganhou territórios no Oeste e no Norte às custas da Alemanha, e se tornou um país com território menor em 20% do seu tamanho antes da guerra. Como consequência da guerra, ocupação, extermínio de judeus e deslocamento da população causada por políticas territoriais, a população da Polônia diminuiu de 35 milhões para 24 milhões, o que é comparável à população no final do século XIX. Embora tal catástrofe demográfica tenha sido chamada de vitória, é assustador considerar como seria a derrota da Polônia.

De 1944 a 1989, a Polônia estava sob o regime comunista. Apesar das mudanças no período, não tinha soberania, embora tenha sido reconhecida no cenário internacional. Durante os 45 anos, todas as principais decisões relativas à política externa e doméstica polonesa foram tomadas em Moscou. Ao mesmo tempo, apesar das mudanças provocadas pela revolta social em 1956, 1968, 1970, 1976 e 1980, a Polônia estava sob domínio totalitário. O alcance e o caráter da repressão totalitária foram mais intensos durante os tempos stalinistas, que
duraram até meados da década de 1950. A Polônia não estava livre da repressão política, no entanto, o movimento Solidariedade, com seu líder carismático Lech Walesa, entrou em cena na década de 80. Os comunistas não foram capazes de manter sua ditadura, apesar da lei marcial imposta à Polônia em dezembro de 1981. Milhares de líderes do Solidariedade foram presos. As "forças disciplinares" reprimiram brutalmente os ataques em estaleiros, fábricas, siderúrgicas e minas de carvão. Trabalhadores foram mortos e feridos. Alguns anos se passaram e o mundo mudou imensamente. Reformas sem precedentes na União Soviética, dentro do programa Perestroika e da política dos Estados Unidos que ganharam domínio militar e tecnológico, permitiram aos países da Europa Central e Oriental, finalmente se libertarem do domínio soviético. Em 1989, como resultado das negociações da Mesa Redonda, o compromisso histórico foi alcançado. O 'Solidariedade' entrou oficialmente no cenário político. Em 4 de junho de 1989, ocorreram as primeiras eleições livres para o Senado e parcialmente livres para o Sejm. Os poloneses votaram contra o antigo sistema político. Três meses depois, foi criado o primeiro governo independente liderado pelo primeiroministro Taduesz Mazowiecki. Foram necessários mais três meses para mudar o nome oficial do estado: a República Popular da Polônia se tornou história e nasceu uma República Livre e Democrática da Polônia.

2º dia – 27 junho – domingo – Varsóvia

Bombardeada na Segunda Guerra Mundial, Varsóvia ressurgiu das cinzas, como uma fênix. Após cinco anos da Queda do Comunismo, se tornou uma cidade ocidental cosmopolita, dinâmica e animada, possuindo mais de 50 museus.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Pela manhã conheceremos suas principais atrações: a PRAÇA DO CASTELO, o CASTELO REAL, o PARQUE SAXON, a Universidade de Varsóvia, a Cidade Velha - o mais antigo distrito de Varsóvia, a ROTA REAL, a IGREJA DE ST. ANNA, o Monumento a Adam Mickiewicz, a IGREJA DA SANTA CRUZ, que é mais conhecida como o local de descanso final do coração do compositor Frédéric Chopin. E também o PALÁCIO BELVEDERE, a PRAÇA PIŁSUDSKI - onde está localizado o Túmulo do Soldado Desconhecido, o Teatro de Ópera e Ballet Bolshoi, a Praça do Banco e o antigo gueto judeu com o monumento aos HERÓIS DO GUETO. O PALÁCIO WILANOW e seu parque, chamado "O Pequeno Versailles", está pitorescamente localizado 10 km ao sul do centro de Varsóvia, e se conecta com a Rota Real. O palácio foi construído no século 17 como a residência de verão do rei Jan III Sobieski. O palácio e o parque em Wilanow são uma das partes mais bonitas da cultura nacional polonesa. Visita a coleção de moveis, retratos, esculturas e armaduras. O Parque do Palácio é o único local em que podemos apreciar o Parque Barroco Ítalo-francês, o romântico Parque Anglo-Chinês, e o Parque Inglês.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

3ºdia – 28 junho – 2ª feira – Varsovia/Cracovia

Pela manhã visitaremos o vilarejo onde nasceu Frédéric Chopin - ZELASOWA WOLA, o mais famoso santuário do compositor na Polônia. A mansão tradicional abriga copias de documentos, retratos, tecidos decorativos, instrumentos musicais e moveis preservados no estilo da época. Passando pelo interior da Mazovai, descobriremos o cenário que inspirou Chopin a compor as polonaises, as mazurcas... Almoço, retorno a Varsóvia e embarque na Estação Warszawa, em Primeira Classe, para Cracovia. Chegada na Estação Krakow Glowny (02h30min de viagem) e traslado ao HOTEL COPERNICUS (Relais&Chateaux). Interessantes invenções de poloneses: Esperanto, cotonete, walkie talkie, colete a prova de bala, dispositivo de sinalização ferroviária, lâmpada a querosene, clipe de papel.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

4º dia – 29 junho – 3ª feira – Cracovia

A primeira menção escrita de foi no ano de 965, um ambulante de Córdoba visitou a cidade e mencionou como um grande centro de negócios chamado Krakwa. O bispo de Cracovia data de 1000 e em 1038 tornou-se a capital do reino de Piast. Na Renascença, a idade de ouro da Polônia, a expansão cultural e econômica atinge seu apogeu, que se encerra com a transferência da capital para Varsóvia em 1596. Apesar de invadida por suecos e austríacos entre outros, e até pelos alemães na Segunda Guerra, quando assistiu à partida silenciosa e sem retorno de milhares de judeus, foi a única cidade polonesa que pouco sofreu com bombardeios, conseguindo manter intacta a sua arquitetura antiga. Após a Liberação, os novos dirigentes construíram uma siderúrgica próximo ao Centro Histórico, e os monumentos que sobreviveram até aos nazistas, sofreram desgastes com chuvas de ácido e gases tóxicos. Cracovia é o verdadeiro Panteão dos Reis Poloneses. Aristocrata, harmoniosa e elegante, CRACOVIA possui uma atmosfera única e a maior concentração de monumentos históricos e tesouros culturais da Polônia. Nossa visita terá início no CASTELO DE WAWEL, que é a personificação da gloria da monarquia da Polônia. Admiraremos os aposentos reais, o deslumbrante interior da Catedral de Wawel, a igreja de coroação com os túmulos reais e o sino de Sigmund. A Praça do Mercado é considerada uma das maiores da Europa, cercada de palácios e residências antigas. A BASÍLICA GÓTICA DE SANTA MARIA também encantará com seu altar em madeira de 1477 e o toque do trompetista ao meio dia.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

O almoço será no famoso restaurante WIERZYNEK que no ano de 1364, onde o prefeito da cidade ofereceu um banquete para os convidados do casamento da neta do Rei Casimiro, o Grande. Entre os convidados estavam muitos reis europeus. Desde então Wierzynek é conhecido como o restaurante real, e o cardápio preparado com receitas da
cozinha real. Após o almoço percorreremos a rua Florianska até o Portão Florian e o Barbikan, ruínas das antigas fortificações.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

5º dia – 30 junho – 4ª feira - Cracovia

WIELICZKA, a poucos minutos de Cracovia, remonta ao século 13 e abriga a mais antiga mina de sal subterrânea em operação do mundo. Seus 300km de tuneis e galerias são divididas em nove níveis, com até 327m de profundidade, e repleta de capelas, belos altares, estátuas, lagos subterrâneos - tudo esculpido em sal. Uma viagem através de lendas incríveis, para conhecer como era o trabalho dos mineiros centenas de anos atrás. As minas de sal em Wieliczka estão na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1978, em parte pela Capela de Santa Cunegunda, padroeira dos mineradores locais. Almoço em Wielicza e retorno a Cracovia.

Legenda ©lilianrf-clicktravel

Legenda ©lilianrf-clicktravel

6º dia – 01 julho – 5ª feira - Cracovia/Paris/Rio de Janeiro

Pela manhã traslado ao Aeroporto e embarque às 12h30min no voo 1879 da AIR FRANCE para Paris. Chegada no Aeroporto CDG às 14h40min. Conexão às 23h25min no voo 442 da AIR FRANCE para o Rio de Janeiro.

PREÇOS POR PESSOA

TERRESTRE

  •  Apartamento Duplo:        EUR 3,200.

  •  Suplemento Individual:   EUR    850.

O pagamento do suplemento individual será efetuado com a última parcela

Forma de Pagamento: (em reais ao câmbio do dia)
 

  • Sinal -                       EUR  1000.

  • Dia 05 novembro - EUR 550.

  • Dia 07 dezembro - EUR 550.

  • Dia 05 janeiro -       EUR 550.

  • Dia 04 fevereiro -    EUR 550.

*Acréscimo sobre todas as parcelas de Imposto sobre  Remessa ao Exterior (IRRF) de 6,38% e de IOF de 0,38%

AÉREO

  • Classe Executiva Premium:    

  • Classe Econômica:                    

  • Primeira Classe:                        
     

  • Forma de Pagamento: parcelado em 05 vezes sem juros em todos os Cartões de Crédito emitidos no Brasil

  • Preços e reservas aéreas e terrestres sujeitos a confirmação e disponibilidade no momento do pagamento do sinal

  • Passagens aéreas devem ser obrigatoriamente emitidas pela MDETOURS

  • Pagamentos em reais ao câmbio do dia da emissão do bilhete

SEGURO VIAGEM

  •   

OS PREÇOS INCLUEM

  • 02 noites no HOTEL BRISTOL*****L em Varsóvia

  • 03 noites no HOTEL COPERNICUS *****L em Cracovia

  • Café da manhã todos os dias

  • Passeios conforme descritos no programa com guia falando espanhol incluindo os ingressos

  • Trem em Primeira Classe de Varsóvia a Cracovia

  • 03 almoços

  • Guia acompanhando o grupo

  • Traslados aeroporto/hotel/aeroporto

  • Gorjetas nos aeroportos e hotéis

CONDIÇÕES GERAIS

  • Os programas das viagens da MDETOURS são confeccionados com base nas Condições Gerais e Específicas que geram o Contrato entre o Fornecedor e o Usuário. Esse Contrato é confeccionado seguindo as normas do Código de Defesa do Consumidor, da Deliberação Normativa da Embratur nº 161/85.

  • Ao se inscrever nas viagens da MDETOURS o passageiro aceita todas as regras e normas do Contrato de Viagens que se encontram à disposição na sede da empresa.

  • Quanto à documentação de viagem esta é de responsabilidade do passageiro. Passaportes válidos, vistos, vacinas, documentação pessoal são de total responsabilidade do passageiro. Assim, a impossibilidade de embarque gerada por falta de documentação caracterizará cancelamento da viagem, sendo aplicadas as penalidades vigentes.

CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE CANCELAMENTO

  • Entende-se como cancelamento a desistência da viagem e/ou serviço contratado, bem como alterações de datas.

  • Solicitações de cancelamento da viagem ou serviços contratados deverão ser feitas por escrito e as penalidades serão aplicadas segundo a antecedência com que forem comunicadas.