EGITO

Sail through time in Egypt with

HISTORIA CRUISE

10 a 24 de fevereiro de 2022

Pequenos Grupos e Viagens sob Medida

Rio Nilo - Felucas     © Lilian-Click Travel

O MAIS LUXUOSO BARCO

O mais novo e luxuoso barco a percorrer o rio Nilo. Inaugurado em novembro de 2021, possui 50 cabines de luxo sendo 08 Suítes e 02 Presidenciais.

HISTORIA CRUISE.png
mapa 2.png
mapa cruzeiro oberoi.png

OS HOTÉIS

HOTEL MARRIOTT MENA HOUSE

Um palácio histórico localizado a apenas 700 metros da Pirâmide de Quéops, no Distrito de Gizé. O hotel foi, originalmente, construído para hospedar a Princesa Eugenia, quando viajou ao Egito para a cerimônia de Abertura do Canal de Suez. Antes da abertura do canal, os navios contornavam a África para chegar ao Oriente, o que reduziu consideravelmente o trajeto entre a Europa e a Ásia.

marriott mena house 8.jpg
marriott mena house 2.jpg

HOTEL SOFITEL LEGEND OLD CATARACT

Descubra a incrível história de um hotel que hospedou membros da realeza e celebridades: o Sofitel Winter Palace Luxor 5 estrelas! Construído em 1886 às margens do Nilo e cercado por Jardins Reais de um século de idade, o hotel tem vista para o Nilo e West Bank Necropolis. É um oásis de tranquilidade e um refúgio esplendoroso dos tempos faraônicos. Aproveite a atmosfera mergulhada na história, romance e aventura.

5º dia.jpg
sofitel legend 2.jpg
sofitel legend 3.jpg
Sofitel legend.jpg

HOTEL NILE RITZ CARLTON

O Nile Ritz-Carlton  possui um rico legado de tradição e luxo. Com vista para o rio Nilo, encontra-se o icónico hotel de luxo no coração do Cairo. O hotel oferece serviços de classe mundial; esplêndidas acomodações, incluindo mais de nove restaurantes e bares , um luxuoso spa e serviço sem precedentes, que prometem uma estadia inesquecível.

ritz carlton 1.jpg
ritz carlton 3.jpg
ritz carlton 2.jpg

AS PIRÂMIDES

As únicas sobreviventes das sete maravilhas do mundo antigo, as pirâmides de GIZA. A maior e mais antiga QUÉOPS, a segunda QUEFREN, filho de Quéops, e a MIQUERINOS, foram construídas por trabalhadores permanentes, cortadores de pedras, escultores, que vinham se juntar a uma numerosa equipe de 4.000 homens, incluindo os que extraiam os blocos de pedras que eram transportados pelo Nilo.

Egito 2006 - CD 01 173_edited.jpg
03.Piramide_de_Quéops-Egito_2006_-_CD_01_115.jpg
DSC_5996.jpg

OS MONUMENTOS

Abu Simbel

 

A antiga Nubia situada entre Aswan e o norte do Sudão, teve a população se deslocando pela quarta vez com a construção da Grande Barragem em 1960. Arquitetos, engenheiros e fotógrafos de mais de 30 países lutaram contra o tempo para salvar os monumentos. O maior desafio era o Templo de Ramses II pela grandiosidade, e expressa a ambição e audácia que caracterizaram o Novo Imperio: ABU SIMBEL.

Egito Abu Simbel.jpg

OS MUSEUS

MUSEU GRAND EGIPTIAN - GEM

 

Considerado o maior museu arqueológico do mundo. Sua principal atração será a primeira exposição da coleção completa de tumbas do rei Tutancâmon. A coleção inclui cerca de 5000 itens no total e será transferida do Museu Egípcio no Cairo. Outros objetos serão realocados de armazéns e museus em Luxor, Minya, Sohag, Assiut, Beni Suef, Fayoum, Delta e Alexandria.

grand_egyptian_museum_hpa180608_carchimation1.jpg

MUSEU ARQUEOLÓGICO DO CAIRO

 

Abriga a mais importante e notável coleção de antiguidades egípcias do mundo, englobando mais de três mil anos de história. Entre as inúmeras maravilhas do museu, o Tesouro de Tutankhamon, é sem dúvida, o mais fascinante. Os egípcios acreditavam que o ouro era a pele dos deuses, e se cobrissem os sarcófagos com ouro, também protegiam o corpo da contaminação do exterior. Após a nossa visita ao museu incluindo a Sala de Múmias, que abriga em vitrines, os corpos embalsamados dos mais ilustres faraós e rainhas dos séculos 17 ao 21 a.C, almoço e continuação das visitas pelo CAIRO ISLÂMICO, incluindo a CIDADELA. – residência dos governantes do Egito por 700 anos, a Mesquita de Mohammed Ali, cuja silhueta domina a cidade do Cairo, a Mesquita An-Nasir Mohammed, e a Mesquita-Madrassa do Sultão Hassan. Naguib Mahfouz foi o primeiro escritor árabe a receber um prêmio Nobel no ano de 1988.

REIS E RAINHAS NA ANTIGA TEBAS

TEMPLO DE LUXOR

 

Conhecido como “o harém do sul”, e interligado a Karnak por uma ala enfileirada de esfinges com cabeças humanas. Idealizado por um só faraó, Amenophis III, foi erguido onde estava o antigo santuário construído por Hatshepsut, e dedicado à tríade de Tebas: Amun - o deus da criação, e o mais importante de Tebas, Mut e Khons.

 

Após o embalsamento e a mumificação dos faraós do Novo Império, os sarcófagos eram transportados para o VALE DOS REIS, suntuosamente cobertos de joias e tesouros para as necessidades que teriam após a morte. Mais de 5.000 objetos preciosos haviam sido enterrados com o jovem faraó Tutankhamon, cujo túmulo não havia sido saqueado até a sua descoberta pelo arqueólogo inglês Howard Carter, em 1922. Ramsés II mandou construir no VALE DAS RAINHAS, um dos mais fabulosos túmulos do Egito, para sua amada esposa Nefertari.

 

MADINET HABOU, majestoso templo funerário de Ramsés III, foi o último grande templo faraônico construído no Egito. Os baixos-relevos exteriores relembram a luta de Ramsés III contra os povos dos mares, e mostra um feito raro no Egito, uma batalha naval.

KARNAK

 

O complexo de KARNAK é o mais impressionante do Egito, chamado pelos antigos egípcios de “o mais venerado dos lugares”. Durante 1.500 anos foi o local de culto dominante dedicado a Amon. Mais que um simples templo, era um importante centro intelectual e um vasto complexo de santuários, obeliscos e capelas. Todos os faraós, de alguma forma, contribuíram para aumentar, embelezar, restaurar ou demolir, para mostrar a sua devoção. Karnak, cidade sagrada, era aberta unicamente aos padres.

 

Pela manhã finalizaremos nossas visitas em LUXOR: Dier el Madina, antigo vilarejo dos artesãos que construíram o Vale dos Reis, o Templo de Hatchepsut, e as monumentais estatuas que marcam a entrada do templo funerário de Amenophis III, o maior da margem esquerda do Nilo, o COLOSSO DE MEMNON.

Horus-Egito 2006 071.jpg
colosso-de-memnon.jpg
Egito-2006-792.jpg

O complexo de KARNAK é o mais impressionante do Egito, chamado pelos antigos egípcios de “o mais venerado dos lugares”. Durante 1.500 anos foi o local de culto dominante dedicado a Amon. Mais que um simples templo, era um importante centro intelectual e um vasto complexo de santuários, obeliscos e capelas. Todos os faraós, de alguma forma, contribuíram para aumentar, embelezar, restaurar ou demolir, para mostrar a sua devoção. Karnak, cidade sagrada, era aberta unicamente aos padres.

 

Pela manhã finalizaremos nossas visitas em LUXOR: Dier el Madina, antigo vilarejo dos artesãos que construíram o Vale dos Reis, o Templo de Hatchepsut, e as monumentais estatuas que marcam a entrada do templo funerário de Amenophis III, o maior da margem esquerda do Nilo, o COLOSSO DE MEMNON.

Exemplo de construção contemporânea no Egito, a monumental Grande Barragem, quando finalizada, formou o Lago Nasser, o maior lago artificial do mundo. Após o almoço a bordo, visitaremos a GRANDE E A ANTIGA BARRAGEM, o OBELISCO INACABADO, provavelmente destinado a um templo de Karnak, e o majestoso TEMPLO PHILAE, um dos lugares mais românticos do Egito, dedicado à venerada Deusa Isis. A adoração à deusa se estende do Império Romano até a ocupação britânica. Navegaremos em embarcação típica egípcia, a FELUCCA, entre as pequenas ilhas de Aswan e ao redor da Elefantina.  Continuaremos velejando para explorar o magnifico mausoléu de Agha Khan, com um vista espetacular de Aswan.

Egito-2006-146.png
templo-philae.jpg

O BAZAR

KHAN el-KHALILI é o segundo maior bazar do Oriente Médio, depois do bazar de Istambul. Fundado por um emir mameluco em 1382, acolhia, primitivamente, os mercadores turcos. No início do século 20, foi transformado em ponto de venda de artesanato. Finalizaremos o dia no Bazar, e percorreremos suas ruelas para apreciar os objetos de couro, bijuterias, jóias de ouro e prata, e muitos outros souvenirs.

11º dia 1.jpg
11º dia 2.jpg

O METROPOLIS

CAIRO: com cerca de 20 milhões de habitantes, o CAIRO é a maior cidade da África, e repleta de contrastes: pobreza e riqueza, analfabetismo e cybercafés, casas de tijolos aparentes e arranha-céus. A sua história, como a de todo o Egito, está sempre ligada ao rio Nilo. Durante o Reino Antigo, e das construções das pirâmides na planície de Gizé, a capital do Egito era Memfis. Em 642, sob dominação árabe, o general Amr Ibn-el-As funda Fostat, que se tornaria Cairo em 969, em conseqüência da invasão dos Fatimidas, quando tem início a sua dinastia. O califa chamou o local de Al-Qahira, que os europeus corromperam para Cairo. Por 900 anos, o Cairo se manteve uma cidade medieval, e Ismael - neto de Mohamed Ali - decidiu remodelar a cidade para um padrão europeu, durante os 16 anos de seu reinado (1863-1879). Mohamed Ali é considerado o fundador do Egito moderno. Quando Ismael o Magnífico, retornou dos estudos em Paris, influenciado pelas transformações ocorridas na capital francesa trazida pelo Segundo Império, inicia no Cairo um plano de desenvolvimento, pouco antes da abertura do Canal de Suez.

Cairo.jpg